FECAP e Revolução Constitucionalista de 1932

blog01
Qual a relação do feriado de 9 de julho no Estado de São Paulo, o Obelisco do Ibirapuera e a FECAP?

Nove de julho foi a data que marcou o começo da Revolução Constitucionalista de 1932, considerado um dos maiores movimentos cívicos da história do Estado de São Paulo. Esse levante armado, também conhecido como Guerra Paulista, tinha por objetivo derrubar o governo provisório e usurpador de Getúlio Vargas e convocar uma Assembleia Nacional Constituinte. O movimento tomou corpo porque Getúlio Vargas, além de ter tomado o poder através de um golpe de estado, governava por decreto, sem constituição. E ainda há outro motivo gerador: a autonomia que os Estados Brasileiros tinham antes do governo de Vargas havia desaparecido.
 
O motivo central dos paulistas pensarem na luta armada veio depois da morte de quatro estudantes, em 23 de maio de 1932, durante um protesto que clamava pela democracia, por uma nova constituição nacional e mais autonomia aos Estados, sufocado violentamente pelas forças federais. O movimento anti-governo ficou conhecido como MMDC, cujo nome veio das iniciais dos jovens assassinados (Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo). Hoje, os quatro rapazes repousam eternamente no Obelisco Mausoléu aos Heróis de 32, conhecido também como Obelisco do Ibirapuera ou Obelisco de São Paulo, onde se pode ler: “Viveram pouco para morrer bem. Morreram jovens para viver sempre”.
 
Reunindo todas as classes sociais, o movimento mobilizou operários, estudantes, professores, médicos, advogados, etc. de todos os diferentes alinhamentos políticos. A solidariedade tornou-se um lema. Com isso, institui-se a campanha “Ouro para o bem de São Paulo”, que rendeu mais de 9.000 contos, um valor muito expressivo na época.
 
A Faculdade de Direito do Largo São Francisco centralizava a organização do MMDC e a formação das unidades de voluntários. Na Escola de Comércio Álvares Penteado (FECAP), funcionava a coleta de donativos e alistamento. As indústrias paulistas passaram a fabricar armamentos e munições, e os engenheiros da Escola Politécnica planejavam os caminhos, as comunicações e o abastecimento das tropas.
 
Os professores da FECAP foram os contadores que administravam os fundos constitucionalistas. Após o final da Revolução (no começo de outubro de 1932), o dinheiro que restou da campanha “Ouro para o bem de São Paulo” foi doado para a Santa Casa de Misericórdia, para a construção do prédio Bandeira Paulista, no Largo da Misericórdia, em forma de uma bandeira paulista drapeada ao vento.
 
A maior herança dessa Revolução foi demonstrar a identidade de São Paulo, a união de seu povo, sua capacidade de sacrifícios e esforços em defesa do ideal democrático. A possibilidade da convivência de diferentes povos e classes sociais em um espaço multicultural marca o Estado de São Paulo, e isso oferece uma grande capacidade de crescimento e de desenvolvimento únicos no país, fortalecida pela herança da riqueza cafeeira. Para o Brasil, a revolução foi germe da Constituição de 1934, onde todas as classes sociais foram representadas e pela primeira vez, constitucionalmente, reconhece-se o direito de voto feminino.

_DSC0145

Miriam Vale – Doutora e mestre em administração de empresas, na linha de Estudos Organizacionais da Fundação Getúlio Vargas. Concluiu graduação em Administração pela Universidade de São Paulo (USP) em 2007, sendo que passou um ano em intercâmbio estudando na Universidade de Maastricht e Universidade de Coimbra. Atuou em empresas privadas de telefonia celular e bancos. Atualmente é professora na graduação da FECAP, onde também atua como Curadora do Acervo Histórico.

 

Comentários

Comentários

Previous Post
blog01_ruth

#OrgulhoAlvarista Prof. Dra. Ruth Cardoso

  De quem é a frase “Foi na FECAP que tive meu primeiro emprego como docente, lecionando Sociologia. Orgulho-me do vínculo com a FECAP.”? Acertou ... Read more

Next Post
blog01 (1)

FECAP e a Ordem dos Economistas do Estado de São Paulo

Você sabia que a Ordem dos Economistas do Estado de São Paulo surgiu na FECAP? Isso mesmo! A primeira turma de bacharéis da Faculdade de ... Read more

Deixe uma resposta