Seja por dificuldade de adaptação ou por uma quebra de expectativas, em muitos casos a transferência de faculdade é a melhor opção. Essa é uma prática mais comum do que imaginamos, mas que deve ser feita com muita calma e maturidade.

Para te ajudar a fazer uma escolha positiva dessa vez, preparamos esse post especial. Confira o texto e descubra 6 coisas que você precisa saber antes de fazer a transferência de faculdade.

1. Por que o aluno quer a transferência?

Antes de pedir uma transferência de faculdade, é importante saber com clareza quais motivos levam o aluno a querer sair de uma instituição de ensino e se mudar para outra.

Em primeiro lugar, é preciso entender que a escolha de um curso superior – e o local para fazê-lo – é um momento importante e delicado na vida dos estudantes. Além de demandar muita atenção, cautela e responsabilidade, essa decisão exige uma maturidade que nem todo jovem tem nessa fase da vida.

Como muitos prestam vestibular logo que saem do ensino médio, podem acabar fazendo escolhas precipitadas, sem conhecer a universidade ou fazer uma pesquisa aprofundada sobre o curso.

O resultado é mais comum do que imaginamos. Muitos alunos acabam se frustrando com a escolha que fizeram, descobrem que a instituição não é nada daquilo que esperavam ou simplesmente não conseguem se adaptar.

São vários os motivos que levam os estudantes a entrarem com o pedido de transferência. Entre os mais comuns, está a insatisfação com o método de ensino, a dificuldade de deslocamento e o descontentamento com a infraestrutura.

Ainda hoje, poucas universidades conseguem acompanhar as técnicas modernas de aprendizado e acabam se tornando ultrapassadas e desinteressantes aos olhos de muitos alunos.

Como muitos graduandos moram em locais distantes da faculdade, o desgaste e a despesa acabam sendo bem maiores do que o esperado. A princípio, isso pode não parecer um grande problema. Mas, a longo prazo, essa situação tende a se tornar insustentável, fazendo com que o aluno repense a sua escolha.

O descontentamento com a infraestrutura também faz com que alguns alunos queiram se transferir. É muito comum que os jovens cometam o erro de não visitar a faculdade antes de ingressar no curso e acabam descobrindo que o lugar não atende às suas necessidade somente depois da matrícula.

Reconhecer o próprio erro é uma virtude e mudar de opinião é humano. Não fique constrangido se sentir necessidade de pedir a sua transferência. O importante é estar no lugar onde você possa aproveitar ao máximo a sua graduação.

2. Quando é possível pedir transferência de faculdade?

Cada universidade tem as próprias regras para determinar em qual período é possível fazer a transferência e quais são os procedimentos necessários para realizar essa mudança.

De forma geral, todos os alunos matriculados regularmente nas instituições de ensino podem entrar com o pedido, desde que haja vagas disponíveis no curso de interesse.  Também é comum a exigência de um número mínimo de horas cursadas pelo aluno. Na maioria dos casos, o aluno precisa ter feito pelo menos o primeiro ano da graduação.

Os prazos para pedir a transferência e a limitação do número de vagas também são definidos pelas faculdades e podem variar. Normalmente, o processo de transferência é aberto nas datas próximas ao vestibular, já que a adaptação de um novo estudante no meio de um período é muito mais difícil, tendo em vista que as classes já estão formadas e o conteúdo já está avançado.

3. O que esperar da nova faculdade

Saber o que porque está saindo é importante, mas saber o porque está ingressando em uma nova faculdade é ainda mais. Na hora de fazer a sua transferência, faça as seguintes perguntas a si próprio: O que quero de novo? Quais são os benefícios, apoios, ofertas e diferenciais que busco nessa ou naquela instituição?

Existem muitos fatores que podem servir de indicativo para medir a qualidade das faculdades. O incentivo à pesquisa, os programas de internacionalização dos alunos e os setores de apoio à diversidade, por exemplo, são fatores importantes que devem ser levados em consideração na hora de escolher para onde se transferir.

Os programas de incentivo à pesquisa e extensão são ferramentas fundamentais para o processo de ensino. Além de permitirem que os alunos experimentem a realidade do mercado e coloquem em prática o conteúdo aprendido em aula, eles ampliam os horizontes, as redes de contato e as possibilidades de atuação.

Os programas de intercâmbio também são de extrema importância para aqueles que desejam construir uma carreira promissora. Em um mercado cada dia mais globalizado, em constante interação, sai à frente quem consegue se conectar com o que acontece nos outros países. Por isso, a fluência em várias línguas e o conhecimento sobre outras culturas e formas de trabalho, se tornou uma necessidade para quem está ingressando agora no mercado.

transferência-de-faculdade

4. Aproveitamento de matérias

Cada instituição de ensino superior tem suas particularidades sobre o tema. No geral, é possível aproveitar as disciplinas já cursadas, no entanto, é preciso ficar atento às diferenças das grades curriculares de cada instituição, principalmente no que diz respeito às horas/aula.

Dependo das matérias que você já frequentou, é possível usar seu histórico escolar para abater parte da carga horário do curso para o qual você pretende migrar.

Porém, em alguns casos é necessário cursar todo o programa, mesmo que você já tenha cumprido horas em disciplinas semelhantes. Tudo depende da grade curricular de cada instituição.

Pesquise sobre as regras da instituição para onde você pretende ir e cheque tudo com calma.

5. O que avaliar antes de pedir a transferência

Como já falamos anteriormente, antes da transferência é fundamental que o aluno pesquise a fundo e até faça uma visita para descobrir o máximo de informações que puder.

É claro que as necessidades e expectativas variam de aluno para aluno, mas alguns aspectos são fundamentais para o bom aproveitamento de qualquer estudante.

A infraestrutura oferecida pela instituição, o seu impacto no mercado e a oferta de oportunidades de trabalho e estágio são aspectos essenciais para uma jornada acadêmica proveitosa.

Pense que você vai passar os próximos 4 ou 5 anos da sua vida nesse ambiente, então é bom que ele te proporcione tudo o que você precisa para se tornar um profissional de sucesso.

Por isso, veja se a faculdade oferece laboratórios, bibliotecas e os materiais necessários e específicos para seus estudos. Procure saber como é a reputação da instituição perante as empresas e se possível converse com ex alunos sobre a sua experiência profissional depois de formados. Quanto mais informações, mais chances de fazer uma escolha certa.

6. Transferência de benefícios : FIES e ProUni.

É importante saber que o aluno que faz a transferência de faculdade não perde os benefícios estudantis concedidos pelo Governo Federal.

Qualquer universitário que tenha contratado um empréstimo pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) pode solicitar a transferência de instituição de ensino.

Os pedidos podem ser feitos uma vez por semestre, sempre partir do último mês do período que o estudante está cursando. A mudança passa a valer a partir do período seguinte.

As transferências são solicitadas pelo próprio sistema do Fies mas, caso o estudante tenha obtido o financiamento antes de janeiro de 2010, deve apresentar seu pedido à Caixa Econômica Federal.

No caso do ProUni, existem alguns critérios para que o aluno solicite a transferência de faculdade sem perder o benefício da bolsa estudos parcial ou integral.

Para isso, é necessário que as instituições de origem e destino estejam de acordo com a transferência e que instituição e o curso para o qual o estudante deseja se transferir estejam regularmente credenciados no ProUni. Além disso, as bolsas precisam seguir a mesma modalidade de uma instituição para a outra. A mudança de uma bolsa integral para parcial, por exemplo, não será aceita.

Com essas dicas ficou ainda mais fácil fazer a transferência de faculdade. Fique atento aos prazos, verifique se há vagas e boa sorte!

Baixar agora