A escolha de uma profissão vai impactar o resto da vida. Positivamente, se acertar logo de cara. Mas também é possível que você mude seus planos no futuro. Felizmente, você pode contar com um serviço que procura minimizar as chances disso acontecer: é a chamada orientação profissional.

Não existe um momento específico em que a orientação profissional é mais efetiva. O final do ensino médio é conveniente, pois a decisão de qual curso fazer está diretamente relacionada a essa escolha. Mas é possível aproveitar este aconselhamento também durante a graduação, ou até mesmo enquanto você já está no mercado de trabalho.

Para entender melhor o que isto representa, vamos explicar direitinho o que é orientação profissional e seus benefícios para a carreira.

O que significa orientação profissional

O nome já entrega o objetivo deste tipo de serviço: indicar caminhos para o estudante ou profissional interessado. A meta é esclarecer dúvidas que envolvem as possíveis carreiras escolhidas. A orientação profissional é feita por um especialista, em geral com formação prévia em psicologia, pedagogia ou gestão de RH — embora isto não seja uma exigência.

O trabalho desse especialista é repassar as várias possibilidades das carreiras consideradas, para que o orientando possa tomar uma decisão informada. Dessa forma, é possível identificar aspectos que tenham passado despercebido pelo estudante em uma primeira avaliação. Cada detalhe pode fazer diferença na hora de bater o martelo — aí está o valor da orientação profissional.

Podemos dividir a orientação profissional em dois momentos:

  1. Exercício do autoconhecimento para entender melhor as suas características, pessoais e profissionais. As preferências, habilidades, pontos fortes e pontos fracos serão indicadores utilizados para destacar as opções mais indicadas para sua carreira.
  2. Avaliação dos fatores externos. “Como está o mercado para essas profissões?”; “A tendência é de crescimento ou já existem sinais de esgotamento das vagas?” Informações como essas, vindas de quem tem experiência no assunto, podem ter peso decisivo para quem procura as melhores chances para uma carreira segura.

Orientação profissional vs. Orientação vocacional

Uma confusão muito comum existe entre a orientação profissional e a orientação vocacional. Os nomes são bem parecidos, mas os métodos e objetivos de cada uma têm diferenças significativas.

É bem possível que você já tenha encontrado um teste vocacional — talvez até mesmo já completou um deles. Esses testes são apenas um dos instrumentos da orientação vocacional, mas ilustra o que ela se propõe a fazer: mostrar as áreas que mais se relacionam com o perfil de determinado estudante.

Esse tipo de avaliação é importante, mas insuficiente. Algumas áreas são muito amplas — Administração, por exemplo, pode abarcar tanto quem se propõe a ser gestor de RH ou a lidar com a logística das operações de uma empresa.

Esse tipo de direcionamento só é possível com uma análise mais específica. A orientação profissional fornece esse cuidado. Principalmente no que se refere às possibilidades oferecidas por cada área de atuação, o comportamento do mercado e a relação com as qualidades daquele futuro profissional.

orientação-profissional

Importância para a construção profissional do indivíduo

A principal função da orientação profissional é indicar o melhor caminho para o estudante ou trabalhador. O conhecimento de mercado é ajuda fundamental: ter um especialista, abastecido de dados e informações oficiais, apontando a realidade e as tendências para o futuro é muito mais eficaz do que a sua pesquisa informal.

Mais importante ainda é o esforço de autoconhecimento que é realizado durante a orientação. O melhor profissional é aquele que sabe quais são seus pontos fortes e tem consciência dos seus limites. Além de essencial para identificar as melhores oportunidades, também insere benefícios diretos em sua rotina — utilizando as suas habilidades onde terão maior impacto.

Foco específico em cada etapa da carreira

O que torna a orientação profissional extremamente útil é o fato dela poder ser aplicada a qualquer momento da carreira. Demos destaque até agora ao início da vida profissional, quando o estudante começa a se fazer perguntas relacionadas ao mercado de trabalho. Neste caso, a principal missão é ajudar a identificar as melhores opções para o futuro.

Já durante a atuação no mercado, a orientação profissional pode ser apropriada em diferentes situações — positivas ou negativas. Se o profissional está atingindo as metas propostas, ela pode ajudar na busca por um rendimento ainda melhor. Por outro lado, é possível que ele esteja insatisfeito com a sua posição. Dessa forma, o objetivo é encontrar alternativas.

Que tal mudar?

Uma opção drástica é a troca de carreira. Isso pode acontecer durante a graduação, antes ou depois do contato com o mercado, como também depois de anos na mesma atividade. A avaliação aqui lembra aquela do ensino médio. Acrescenta-se, porém, a preocupação em manter a estabilidade e qualidade de vida que o profissional acumulou até esse ponto.

Vale ressaltar que o impacto da orientação profissional vai além das escolhas de carreira. Todas as análises e avaliações resultam em um profissional mais preparado para o mercado, consciente do melhor modo de agir no ambiente de trabalho. Transforma-se, portanto, em um bom modo de aumentar sua empregabilidade.

Benefícios da orientação profissional

Esse reforço na empregabilidade é uma das vantagens implícitas de contar com a orientação profissional. Como ele, existem alguns outros pontos que merecem ser destacados como ganhos de participar desse tipo de aconselhamento.

O primeiro são os benefícios que o autoconhecimento traz para o seu dia a dia. Citamos o fato do trabalhador conhecer seus limites na hora de aceitar um convite profissional. Indo além, ele também ganha subsídio para reagir a situações cotidianos, evitando o estresse e aumentando produtividade e qualidade de vida.

O auxílio do orientador profissional também é importante por um outro detalhe: a neutralidade. Sendo um terceiro sem envolvimento com o orientado, os conselhos não tem a carga emocional que a mesma conversa teria com um familiar, ou mesmo amigo. Isso permite que o estudante tome ele próprio a decisão que considera a melhor para seu futuro.

Aumente as suas chances no mercado

“Conhece-te a ti mesmo”, já diziam os antigos gregos. Para uma carreira de sucesso, isso ainda é só metade da equação — é preciso também conhecer o mercado de trabalho e suas tendências. Felizmente, você pode contar com a orientação profissional para desenvolver ambos aspectos antes de começar a sua caminhada.

Outra ajuda é ficar sempre ligado em dicas e novidades sobre o mundo profissional. E nós podemos te ajudar:

Inscreva-se na newsletter da FECAP e receba conteúdos com exclusividade! Você não vai querer perder uma chance dessas, não é mesmo?