Se você sempre teve curiosidade de descobrir o que faz quem estuda Relações Internacionais, chegou ao lugar certo.

Neste post, vamos esclarecer qual é o papel do internacionalista e quais são as áreas mais promissoras para estes profissionais.

Acompanhe para saber mais.

O que faz quem estuda Relações Internacionais

A graduação em Relações Internacionais é do tipo bacharelado e tem duração de, no mínimo, quatro anos. Quem conclui este curso é chamado de internacionalista ou analista de relações internacionais.

Trata-se de uma formação de Ciências Humanas voltadas para elaboração de estratégias e estabelecimentos de parcerias internacionais.

O profissional de Relações Internacionais é, por essência, uma pessoa conectada com o que acontece em outras partes do mundo. Deve sempre estar atento às novas tendências globais e mudanças no cenário geopolítico.

De maneira geral, o internacionalista é responsável por:

  • estudar o cenário mundial;
  • promover a aproximação entre empresas e governos de diferentes países;
  • analisar mercados;
  • investigar riscos de conflitos;
  • pesquisar situações políticas das nações;
  • mensurar possibilidades de negócios, parcerias e cooperação internacional para aconselhar investimentos e projetos no exterior.

QUERO VER!

Carreira

Muitas pessoas acreditam que quem se forma em Relações Internacionais só encontra oportunidades em órgãos públicos com representação internacional. Entretanto, há muitas vagas além dessas.

No próprio setor público, é possível ser contratado em órgão de todas as esferas. Até mesmo prefeituras selecionam internacionalistas para fazer parte do seu quadro de funcionários.

No caso das empresas privadas, há diversidade de perfil de contratação. Grande parte das oportunidades está em multinacionais, porém, organizações nacionais também oferecem vagas.

Há ainda a possibilidade de atuar no Terceiro Setor, prestando serviço para organizações não-governamentais (ONGs).

Áreas de atuação

O curso de RI tem ampla empregabilidade. Quem concluiu a graduação pode trabalhar em diversos cargos. Conheça algumas dessas possibilidades.

Consultor

O papel do consultor é estudar o cenário, antever riscos e orientar empresas e pessoas sobre as decisões a se tomar.

Essa é uma atividade com caráter estratégico, pois requer ampla capacidade de prever tendências e minimizar problemas.

O consultor internacionalista, em geral, orienta os seus clientes quanto a situações ligadas à outras nações. É o caso, por exemplo, de empresas que desejam expandir seus negócios para outros países.

Neste caso, o profissional seria responsável por analisar quais são as possibilidades de transação, cuidar da burocracia envolvida e viabilizar a abertura da empresa.

Esta é uma carreira que exige conhecimento de mercado e, preferencialmente, experiência anterior. Quanto maior for a vivência do internacionalista como consultor, maior será sua capacidade de tomar decisões acertadas.

Agente de câmbio

A grade curricular do curso de Relações Internacionais inclui disciplinas como Economia e Direito Internacional. 

O estudo dessas matérias permite que o internacionalista tenha o conhecimento necessário para atuar como agente de câmbio. Esse tipo de vaga, geralmente, é ofertada em instituições financeiras e agências de turismo. 

A função do agente de câmbio é analisar o cenário internacional, avaliar cotações e estudar as tendências do mercado financeiro.

Esse tipo de atividade é ideal para pessoas que têm afinidade com cálculos e gostam de analisar cenários externos.

Diplomata

Muitos estudantes de Relações Internacionais têm o sonho de trabalhar como diplomatas.

O diplomata é responsável por representar seu país em outras nações, resolvendo problemas e prestando assistência a brasileiros no exterior.

Trata-se de uma profissão na qual a capacidade de negociação e gerenciamento de conflitos são essenciais.

Para trabalhar como diplomata, é necessário ser aprovado em concurso público realizado pelo Instituto Rio Branco. Após a aprovação, o internacionalista terá a seguinte projeção de carreira, respectivamente: 

  • Ministro de Primeira Classe
  • Ministro de Segunda Classe
  • Conselheiro
  • Primeiro Secretário
  • Segundo Secretário
  • Terceiro Secretário.

O grande interesse pela atividade se justifica pela remuneração confortável. O salário inicial do diplomata é de R$19,1 mil e pode chegar até a R$27,3 mil nos cargos mais altos. 

Analista de planejamento governamental

Outro cargo público que pode ser preenchido por internacionalistas é o de analista de planejamento governamental.

Esse profissional é responsável por criar e viabilizar a execução projetos econômicos, políticos e sociais em órgãos públicos.

Há vagas em todas as esferas, de prefeituras ao Governo Federal. A maior parte delas exige aprovação em concurso público.

Analista de logística

O profissional de Relações Internacionais faz o que

Empresas nacionais com sede em outro país precisam de um profissional de logística. Ele é responsável por mediar o processo de importação e exportação de bens e gerenciar conflitos. 

Essa atividade exige conhecimentos de economia, geopolítica, Ciências Contábeis e Recursos Humanos.

O analista de logística zela pelo bom trânsito de bens e matérias-primas, reduzindo riscos de perda e maximizando ganhos.

Profissionais do comércio exterior

O internacionalista pode atuar em colaboração com os profissionais de Comércio Exterior. Isso acontece em processos que envolvam transações comerciais entre organizações de dois países distintos.

Em uma situação como essa, o internacionalista é responsável por buscar e consolidar parcerias. Já o profissional de Comércio Exterior viabiliza a papelada necessária para firmar o acordo.

Assim, ambos trabalhadores atuam juntos para que as negociações realmente aconteçam e sejam favoráveis para as partes envolvidas. 

Professor universitário

Quem tem interesse em seguir carreira acadêmica pode se dar bem como professor e pesquisador universitário. Lecionar e formar novos alunos é uma tarefa louvável.

Para assumir a sala de aula, o internacionalista deve concluir, pelo menos, uma pós-graduação após a sua formatura.

Treinar e capacitar novos profissionais para área é uma tarefa ideal para pessoas que:

  • têm facilidade de comunicação;
  • dominam o conteúdo estudado ao longo da faculdade de Relações Públicas;
  • gostam muito de ler;
  • se interessam por ensinar.

Profissional de Marketing Internacional

O profissional de Marketing Internacional é responsável por criar ações promocionais tendo em vista aspectos políticos, econômicos e sociais. Ou seja, deve estudar o comportamento do país em questão para divulgar ofertas.

Apesar desta função ser relativamente nova, tem grande relevância para empresas que desejam vender seus produtos no exterior.

Depois de explicarmos o que faz quem estuda Relações Internacionais, é hora de reconhecer o valor dessa profissão.

O papel do internacionalista é essencial para as boas relações entre países. Entender isso é valorizar os trabalhadores da área e os seus resultados.

E aí? Gostou do curso? Descubra muito mais sobre o curso de Relações Internacionais clicando neste link.

BAIXAR GRÁTIS!