As ciências econômicas são uma área de conhecimento ampla, que oferece aos profissionais inúmeras possibilidades de atuação.

Se você se interessa por economia e ainda não está certo sobre qual carreira seguir, este post foi feito para você. Confira o texto e descubra tudo sobre o curso de ciências econômicas.

O que é o curso de ciências econômicas

Com duração média de 4 a 5 anos, o curso de ciências econômicas dedica-se aos estudos dos processos de produção, distribuição e acumulação de bens materiais, bem como as condicionantes sociopolíticas, tecnológicas, gerenciais e naturais que influenciam esses processos.

Os profissionais do segmento são habilitados a analisar as oscilações econômicas nos mais diversos setores da sociedade e formular estratégias de ação que vislumbrem o equilíbrio financeiro-administrativo e a continuidade dos processos.

Considerada uma área de conhecimento interdisciplinar, por transitar entre os saberes de exatas e humanas, o curso de graduação em ciências econômicas é ofertado somente na modalidade bacharelado.

O perfil do cientista econômico

A característica principal de um bom cientista econômico é a capacidade de interpretar as informações e variações que acontecem na sociedade e transformá-las em estratégias de ação.

Para isso, o profissional precisa estar sempre atualizado sobre os acontecimentos do país e do mundo e também conhecer a história da região onde atua e suas influências. Só assim ele será capaz de traçar projeções e fazer estimativas econômicas efetivas.

Esse conhecimento nos leva a outra competência fundamental, que é a capacidade de prever e analisar cenários econômicos de forma ampla e ao mesmo tempo focada. Por isso, o cientista econômico precisa ser organizado, estrategista e responsável. Além de gostar de números, é claro.

Como a ciência econômica é uma área de conhecimento interdisciplinar, quem atua nesse segmento precisa sim ter habilidade com os cálculos, no entanto, o conhecimento acerca do comportamento humano é igualmente importante. Na maioria das vezes, as relações políticas e sociais são os fatores centrais de uma oscilação no mercado econômico, por isso, é importante estar por dentro do assunto para conseguir solucioná-las.

Áreas de atuação do profissional

Como a economia está presente em praticamente todos os campos da sociedade, o profissional do setor tem a possibilidade de atuar em diversas áreas.

O cientista econômico pode trabalhar em empresas privadas, na área de planejamento estratégico e gestão de recursos. Também é possível atuar em instituições financeiras, analisando o cenário econômico e definindo as possibilidades de alocação dos ativos. A área de pesquisa, com foco em finanças, economia da saúde, direito e economia internacional também é uma opção para quem se forma em ciências econômicas.

Além disso, os profissionais do setor podem trabalhar com consultoria, políticas públicas, economia ambiental, economia agroindustrial, comércio exterior, ONGs e perícia.

ciências-econômicas

Média salarial do cientista econômico

Segundo levantamento realizado pelo Sistema Nacional de Emprego (SINE), a média salarial dos profissionais de ciências econômicas é de R$ 3.200, podendo haver uma variação de R$ 1.500,00 (para quem está no início de carreira) a R$ 6.200,00.

Os salários podem variar de acordo com o tamanho das empresas, o setor de atuação e a experiência profissional de cada um. O Economista, por exemplo, tem um salário médio de R$ 4.095,14. Já o Economista Ambiental pode receber uma remuneração média de R$ 3.802,59. A projeção para o Economista Industrial é de  R$ 3.821,54.

A região onde está localizada cada empresa e seu local de atuação também podem interferir na média salarial de seus funcionários. Atualmente, os estados do Rio de Janeiro, Distrito Federal e São Paulo concentram os melhores salários para os profissionais de ciências econômicas.

Diferença de ciências econômicas e economia

Os termos ciências econômicas e economia ainda causam certa confusão entre os alunos dessa área de conhecimento. Muitos estudantes dizem que “estudam economia” ou que é “formado em economia”. A realidade é que esse é um equívoco.

A palavra economia diz sobre o “conjunto de atividades produtivas, comerciais, financeiras, de transporte, armazenagem e o modo de produção de um determinado espaço em um determinado período de tempo”. Já o termo Ciências Econômicas trata da área do conhecimento que explica o funcionamento dessa “economia” ou desse conjunto de atividades que acabamos de citar anteriormente. A Ciência Econômica ainda procura elaborar modelos de funcionamento de sistema, para facilitar a interpretação e manutenção do mesmo.

Em outras palavras, a economia é o objeto de estudos da Ciência Econômica. Ou seja, o cientista econômico é o profissional que estuda a economia ou sistema econômico de um país, cidade, região ou instituição.

Como escolher uma boa faculdade de ciências econômicas

Para escolher uma boa faculdade de ciências econômicas, antes de mais nada, é importante verificar se ela é reconhecida pelo MEC. Feito isso, é hora de conferir a grade curricular do curso, fazer uma pesquisa sobre o corpo docente, a estrutura oferecida pela instituição e ver se ela atende às suas expectativas e necessidades.

Uma boa dica é conversar com outras pessoas que passaram pela faculdade e pedir que contem sobre suas experiências. Levante o máximo de informações que puder, essa é a melhor forma de se preparar para fazer uma escolha consciente e certeira.

Agora que você já sabe tudo sobre ciências econômicas ficou ainda mais fácil tomar sua decisão. Lembre-se que nessa área de conhecimento é possível seguir diferentes caminhos, o que cria um horizonte inteiro de possibilidades à sua frente.

Se você quer investir em uma carreira profissional promissora, aproveite para fazer o download do ebook e descubra “como se transformar em um empreendedor de sucesso”.