Quem está se preparando para prestar vestibular neste ano provavelmente já ouviu falar do Sistema de Seleção Unificada. Entender o que é o Sisu pode ajudar a conseguir a tão sonhada vaga na faculdade.

Neste post vamos responder às principais dúvidas sobre esse assunto e explicar como participar deste processo.

Acompanhe!

O que é o Sisu?

O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) foi criado em 2009 pelo Ministério da Educação (MEC). Ele tem como objetivo conectar estudantes do Ensino Médio que fizeram o Enem às vagas nas universidades públicas.

O Sisu funciona como um portal online onde as instituições federais ofertam vagas em cursos superiores de todas as áreas.

Hoje, esta é uma das principais iniciativas públicas para popularização do ensino superior. A cada semestre, milhares de candidatos se inscrevem no programa para tentar uma chance na graduação.

Como ele funciona?

O Sisu utiliza a nota do Enem como parâmetro para seleção dos futuros universitários. Por isso, apenas quem fez a prova no ano anterior pode participar da seleção.

O candidato deve acessar a página do programa no período de inscrições. É necessário  selecionar até duas opções de curso que deseja fazer. A candidatura pode ser feita para universidades em qualquer parte do país e até mesmo para graduações diferentes.

É possível alterar os cursos pretendidos quantas vezes for necessário enquanto o período de inscrições não se encerra.

Nota de corte

A nota de corte é o resultado mínimo que o estudante precisa ter alcançado para ser aprovado na faculdade.

É possível acompanhá-la diariamente, em quatro horários (às 7h, 12h, 17h30 e 20h) pelo sistema. Quanto mais candidatos concorrem a uma vaga, maior será a nota de corte.

Pesos diferentes de acordo com o curso

Algumas universidades atribuem pesos diferentes para as provas, de acordo com o ramo da graduação. Por exemplo, quem quer estudar Ciências Econômicas precisa ter um desempenho melhor na parte de Matemática e suas Tecnologias.

Ou seja, a nota de corte é influenciada diretamente pela área de conhecimento da profissão desejada. Isso é feito para que o aluno chegue mais preparado à sala de aula das universidades.

Prova de Redação

Outro critério utilizado para seleção de novos alunos pelo Sisu é a nota da redação. Os estudantes que zeraram a produção de texto no Enem são automaticamente eliminados.

Portanto, é recomendado que você se prepare com antecedência para mandar bem nesta parte da prova.

Tipos de vagas

As vagas nas instituições públicas se dividem de acordo com o tipo de concorrência.

50% das oportunidades são destinadas a alunos cotistas. Ou seja, estudantes que concluíram o Ensino Médio em escolas públicas, indígenas, negros, pardos e pessoas com deficiência.

A reserva é garantida pela Lei nº 12.711, de 2012, popularmente conhecida como Lei de Cotas.

A outra metade das oportunidades é do tipo “ampla concorrência”. O que quer dizer que é voltada para todos os demais alunos.

Políticas afirmativas

Além de destinar parte das oportunidades para estudantes cotistas, algumas universidades possuem seu próprio sistema de políticas afirmativas.

Esse tipo de projeto apoia grupos sociais que precisam de incentivo para ter acesso às faculdades.

É o caso, por exemplo, da política afirmativa desenvolvida pela Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT). A iniciativa estimula jovens quilombolas a se formarem.

Desenvolver esse tipo de ação não é obrigatório. Cada universidade pode decidir se vai criar esse tipo de projeto, de acordo com a realidade local.

Dicas para quem vai concorrer ao Sisu

Agora que já explicamos como o Sisu funciona, vamos dar algumas dicas práticas para ficar mais próximo da aprovação. Coloque todas em prática:

1) Trace metas

Mesmo que seja possível escolher duas opções de curso, é importante definir qual é a principal. Assim, você não perde o foco ao longo do processo.

A primeira opção é a mais importante, já que é a única que tem lista de espera. Portanto, deve ser muito bem pensada e estar de acordo com a sua vocação.

Já o segundo curso pretendido pode ser da mesma área ou de um ramo completamente novo. O mais estratégico é escolher uma vaga de seu interesse. Opte por uma universidade com nota de corte compatível com o seu resultado do Enem.

2) Monitore o sistema diariamente

Descubra o que é o Sisu

As notas de corte variam diariamente por causa da inscrição de novos candidatos no Sisu. Por isso, é importante acompanhar o sistema todos os dias para avaliar se será necessário mudar as opções de curso. Ou até mesmo alterar as universidades pretendidas para aumentar as suas chances de aprovação.

3) Inscreva-se para lista de espera

Quem não foi aprovado na primeira opção de curso pode se inscrever na lista de espera. Essa é uma oportunidade a mais para ser aprovado na graduação se você teve um bom resultado no Enem.

Caso a nota seja insuficiente para conquistar a vaga, você continuará concorrendo a segunda opção de curso automaticamente.

Não fui aprovado no Sisu, e agora?

Mantenha a calma caso a aprovação no Sisu não aconteça desta vez. Ainda é possível realizar o sonho de fazer graduação por meio de outros programas.

Caso você deseje cursar uma universidade federal, é possível se inscrever no vestibular tradicional. As vagas destinadas ao Sisu são independentes deste tipo de processo seletivo.

Além disso, o Prouni é uma das alternativas de ingressar nas faculdades particulares com bolsas integrais ou parciais.

Há ainda a opção de concorrer ao FIES – um programa de financiamento dos cursos superiores criado pelo governo federal.

Para participar de ambos projetos, é necessário ter feito o Enem e não ter zerado a prova de redação.

Entender o que é o Sisu e quais são as suas regras de funcionamento é fundamental. Essa análise deve fazer parte da preparação de quem deseja entrar na faculdade.

Descubra mais sobre o Enem clicando neste link e prepare-se para conquistar a tão sonhada vaga na universidade. Desejamos boa sorte nessa caminhada e sucesso no vestibular!