As áreas de atuação de Relações Internacionais têm aumentado com o passar dos anos devido à globalização.

Quem quer seguir essa carreira tem diversas possibilidades pela frente além da diplomacia.

Neste post, vamos apresentar a você quais são as vagas mais procuradas na profissão. Acompanhe para saber mais.

O que o mercado de trabalho espera do internacionalista?

O profissional de Relações Internacionais é conhecido como internacionalista. Como o próprio nome já adianta, seu papel está ligado às negociações que envolvem dois ou mais países.

Para trabalhar nessa área, é preciso concluir a graduação. Na maior parte das faculdades, o curso tem duração de 4 anos. Nas demais, há aumento de dois semestres na grade curricular.

Perfil profissional 

Para ter sucesso nessa carreira, o profissional deve:

  • ter fluência em outros idiomas: é preciso saber falar pelo menos em inglês e espanhol;
  • se interessar em conhecer outras culturas;
  • ter facilidade de se relacionar com outras pessoas;
  • ter domínio da comunicação verbal e escrita;
  • estar sempre conectado ao que acontece no Brasil e no mundo;
  • gostar de estudar: o internacionalista deve sempre ter em mente que é preciso se atualizar.

Essas habilidades podem ser treinadas ainda durante a faculdade. É possível encontrar estágio em empresas privadas e órgãos públicos. Normalmente, essas oportunidades começam a surgir a partir do quarto período. 

Áreas de atuação de Relações Internacionais

Muitas pessoas ainda têm uma visão limitada sobre a atuação do profissional de Relações Internacionais. O senso comum é que essa área está ligada apenas ao trabalho do diplomata.

Porém, há muitas outras possibilidades para quem se forma nesse ramo. Conheça algumas delas:

Direito Internacional

As disciplinas de Direito são comuns na grade curricular de Relações Internacionais. Por isso, o profissional sai do curso preparado para lidar com esse tipo de desafio.

O Direito Internacional é o campo que se dedica a estudar as regras e normas jurídicas entre países.

Portanto, quem trabalha nessa área tem que ter amplo conhecimento da legislação internacional. Há vagas desse tipo em consultorias e órgãos governamentais.

Comércio exterior

O comércio exterior é uma das áreas que mais emprega internacionalistas. Isso porque é cada vez mais comum a expansão de negócios para outros países e o relacionamento com investidores estrangeiros.

O profissional que atua nesse ramo deve ter grande domínio das habilidades de negociação e gerenciamento de conflitos. Além disso, é importante também ter conhecimento técnico e falar outros idiomas.

A maior parte das vagas está em empresas privadas com filiais em outros países. Há ainda um mercado crescente em startups – negócios com perfil inovador e solução tecnológica.

Segurança Nacional

Todo país deve tomar medidas que garantam a segurança nas fronteiras e da sua população. Essas iniciativas de Segurança Nacional podem contar com apoio do internacionalista.

É papel dele mediar os conflitos de interesse e estabelecer a diplomacia nas relações entre países.

As funções podem ser exercidas em ministérios, embaixadas ou até mesmo em órgãos internacionais como a ONU. 

Pesquisa acadêmica

Quais são as áreas de atuação de Relações Internacionais?

As universidades podem ser seu local de emprego após a formatura no curso. Professores e pesquisadores são muito requisitados nesse setor devido ao perfil analítico da profissão.

As pesquisas normalmente fazem uma análise de fatos históricos e geopolíticos. A partir das suas conclusões, é possível traçar metas e planos de ação para o desenvolvimento social.

Essa é uma atividade muito indicada para quem gosta de ler e se interessa nas metodologias de investigação científica.

Organizações não-governamentais (ONGs)

Ainda na faculdade é possível encontrar vagas de estágio em ONGs, aumentando a sua chance de conquistar o primeiro emprego.

Normalmente, os projetos das ONGs estão ligados ao atendimento do público estrangeiro ou às missões humanitárias.

Essa área de atuação é recomendada para pessoas que queiram atuar com responsabilidade social. É preciso ter muito empatia e sensibilidade pelos problemas do outro. 

Consultoria

Trabalhar com consultoria pode ser uma boa opção para quem deseja empreender após a formatura. Os consultores são bastante procurados por empresas privadas e multinacionais.

As consultorias, geralmente, são solicitadas por organizações que querem exportar seus produtos. 

O trabalho do consultor é analisar os fatores externos, eliminar os riscos e criar planejamentos estratégicos para ação. 

Marketing internacional

Quando uma empresa resolve conquistar o mercado externo é necessário pensar em uma estratégia de divulgação. Esse planejamento está ligado às ferramentas de marketing internacional.

Essa abordagem visa entender as características do país estrangeiro para criar ações que gerem mais vendas. É um tipo de tarefa que exige conhecimento de economia e vendas.

A maior parte das vagas está em empresas nacionais que estão começando a internacionalizar seus negócios.

Quais são as áreas de atuação de Relações Internacionais

Logística

Quem se forma em Relações Internacionais pode atuar como analista de logística. O desafio deste cargo está ligado à gestão de recursos para garantir os serviços da empresa.

Esta é uma função muito relacionada às áreas de Recursos Humanos, Ciências Contábeis e transporte de cargas.

Tende a crescer muito nos próximos anos devido ao crescente trânsito de produtos nas fronteiras do Brasil.

Agências de câmbio

A Economia é um campo forte de estudos dentro da grade curricular de Relações Internacionais. Por isso, graduando nessa faculdade têm boas oportunidades em agências de câmbio.

O trabalho consiste em acompanhar as variações do mercado para analisar os riscos de investimento. Além disso, há ainda um constante monitoramento da variação do câmbio de moedas de vários países.

Esse pode ser o campo perfeito para quem gosta de lidar com números, dados e análises de cenários.

Entidades internacionais

Existem diversas entidades internacionais que atuam com questões legais e financeiras que envolvem mais de dois países.

O conhecimento do internacionalista de política e economia é muito bem-visto para esse tipo de vaga.

Trabalhar em uma entidade internacional pode ser uma grande oportunidade de valorização do seu currículo e de morar no exterior.

Formei, e agora?

Como foi possível notar, as áreas de atuação de Relações Internacionais são variadas. 

Quem deseja aumentar a sua chance de contratação após a formatura deve se dedicar com seriedade aos estudos. Além disso, pode praticar o marketing pessoal e o networking ao longo do curso.

Gostou das dicas? Descubra muito mais sobre o curso de RI clicando neste link.

Baixar agora